Bem-vindo(a) ao Site da Maternidade! Hoje é domingo, 20 de Janeiro de 2019
Pré-Natal
Pré-Natal
Pré-Natal: O que é?
O pré-natal corresponde a uma assistência organizada, visando atender as reais necessidades das gestantes, por meio de conhecimentos técnico científicos e recursos adequados disponíveis, assegurando o desenvolvimento da gestação e permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna.
Quais os objetivos do pré-natal para a gestante e o bebê?
  • Avaliar a saúde da mãe e do feto, assim como o desenvolvimento de ambos;
  • Garantir e melhorar o estado geral da gestante;
  • Prevenir, identificar e acompanhar fatores de risco, ocorrência de doenças específicas da gestação e condições anormais;
  • Proporcionar adaptação perfeita do organismo materno durante período de gestação e posteriormente no pós-parto;
  • Orientar hábitos de vida saudáveis;
  • Prevenir malformações;
  • Prevenir abortamento, parto prematuro e óbito perinatal;
  • Diagnosticar e assistir os casos de incompatibilidade sanguínea;
  • Prevenir infecções;
  • Avaliar as condições de maturidade e vitalidade fetais, quando indicado parto prematuro.
Quando começar o pré-natal?
A primeira consulta deverá ocorrer logo após a confirmação da gravidez, que pode ser realizada por exames laboratoriais e de imagem.
Quais sinais e sintomas da gravidez?
  • Amenorreia - Mulheres saudáveis, em período fértil, que menstruavam regularmente e cessam a menstruação. Entretanto, não podemos considera-lo um sintoma de gestação até que se passem 14 dias ou mais da data esperada para a menstruação.
  • Náuseas e vômitos – Principal sintoma na gestação inicial, ocorre tipicamente no período da manhã e aparecem duas semanas após a ausência do primeiro período menstrual e regridem espontaneamente após seis a oito semanas;
  • Aumento da frequência urinária - Sensação de irritabilidade vesical com aumento de frequência urinária.
  • Alterações mamárias - Aumento temporário do volume das mamas acompanhado de sensação de peso e aumento da sensibilidade;
  • Sensação de movimentos fetais – Geralmente sensação de pequena e tremulosa flutuações no abdome;
  • Fadiga - Comum na gestação inicial;
  • Alterações vaginais – A mucosa vaginal torna-se mais fina e coloração arroxeada devido ao aumento da vascularização;
  • Mudança da pele - Estrias Gravídicas, causadas pela distensão da parede abdominal; Cloasma Gravídico (manchas no rosto), devido hiperpigmentação da face; e Linha Nigra (escurecimento da linha alba, devido aumento da concentração de melanina.
Quais exames podem ser realizados para confirmação?
Existem dois exames que são de confiança: o exame de urina, que se compra na farmácia e o exame de sangue feito em laboratório. Eles funcionam porque medem a quantidade do hormônio Beta HCG, que é produzido somente durante a gestação e que está presente na urina ou no sangue da mulher.
Quando a mulher pode fazer o teste de gravidez após o atraso menstrual?
O resultado será mais confiável depois de 14 dias de atraso menstrual. Orienta-se procurar o obstetra assim que tiver um resultado positivo para iniciar o pré-natal.
Como será a rotina do pré-natal?
Na primeira consulta será colhida toda a história clínica e obstétrica da gestante e será realizado exame físico, para que o obstetra possa conhecer e identificar os fatores de risco que acercam essa gestação, além de calcular a idade gestacional e solicitar todos os exames necessários. Na primeira consulta ainda deve-se esclarecer todas as dúvidas, informar sobre os próximos passos a serem seguidos, assim como ressaltar a importância da assiduidade. Por fim, deve-se iniciar a suplementação de ácido fólico e vitaminas. Nesse momento, é importante a presença do seu companheiro ou de alguma pessoa significativa para você.
Quais os primeiros exames pedidos para uma gestante após confirmação da gestação?
Os exames preconizados pelo Ministério da Saúde são:
  • Hemograma;
  • Tipagem sanguínea, Coombs indireto (se mãe RH negativo);
  • Glicemia jejum;
  • VDRL;
  • HIV;
  • HbsAg (hepatite B);
  • Toxoplasmose;
  • Urina 1 e urocultura;
  • Ultrassonografia obstétrica.
De acordo com o histórico da gestante levantado pelo obstetra, ele poderá solicitar demais exames. Alguns dos exames são repetidos durante o pré-natal, inclusive, ao final da gestação, orienta-se também realizar a coleta de secreção vaginal/anal para pesquisa de estreptococo do grupo B.
Procure a unidade de saúde se tiver:
  • Vômitos muito frequentes e fortes;
  • Cólicas muito fortes e frequentes;
  • Corrimento escuro;
  • Muito inchaço nos pés, nas pernas, mãos e no rosto;
  • Dor ou ardor ao fazer xixi;
  • Dor de cabeça forte e visão embaralhada, tonturas;
  • Muita sede, muita fome ou muita vontade de urinar;
  • A pressão estiver muito alta;
  • O bebê parar de se mexer por mais de 12 horas;
  • Tiver sangramento ou perda de líquido (água);
  • Tiver contrações fortes, dolorosas e frequentes.
Até a hora do parto...

É no pré-natal também que se iniciam as preparações para o parto. Quando a mulher está informada e bem assessorada, fica mais segura e tem um parto muito mais tranquilo.

Lembrando que não existe alta do pré-natal, a gestante deve ser acompanhada durante toda a gestação, inclusive quando entrar no 9º mês, independente de passar em atendimento no hospital. Após o nascimento deve agendar a sua consulta de puerpério. O pré-natal é sinônimo de prevenção e um dos primeiros presentes que você pode dar ao seu filho!

E atenção, a Unimed dispõe à gestante a oportunidade de agendar no final do último trimestre de gestação uma consulta dos pais com um pediatra de sua preferência, para auxílio de dúvidas iniciais que possam surgir com a chegada do bebê.

Relacionados
Relacionados