Bem-vindo(a) ao Site da Maternidade! Hoje é quinta-feira, 21 de Março de 2019
Pós Parto
Pós Parto
O Puerpério

O puerpério é o período pós-parto que começa a partir do nascimento do bebê e a saída da placenta, e dura aproximadamente 45 dias.

Na sala de recuperação pós-parto, a puérpera pode apresentar algumas alterações como: calafrios, tremores, coceiras e falta de sensibilidade nas pernas, relacionados ao parto e anestesia, e que podem durar cerca de 2 horas.

A enfermagem tem papel fundamental na assistência à puérpera. Enquanto a mesma permanece na sala de recuperação, são realizados diversos cuidados para ela e seu bebê, desde monitorização e medicamentos até o incentivo e auxílio à amamentação. Antes de ser encaminhada ao quarto, a enfermeira obstetra avalia a mãe, observando:

  • A coloração da pele e mucosa;
  • Mamas, mamilos e presença ou não de colostro (primeiro leite materno);
  • Pega e sucção do bebê;
  • Involução uterina (o útero atinge a altura da cicatriz umbilical após o parto e em seguida diminui em torno de 1 cm ao dia);
  • Curativo da incisão (parto cesárea) ou condições do períneo e/ou suturas (parto vaginal);
  • Quantidade e coloração do sangramento vaginal;
  • Inchaço e circulação sanguínea dos pés;
  • Eliminações urinárias;
  • Parâmetros de sinais vitais (pressão arterial e frequência cardíaca).
Orientações para a puérpera

Independente do parto, a nova mamãe só poderá levantar pela primeira vez com ajuda da enfermagem devido ao risco de queda. Para as mães de parto normal, o levante poderá ser realizado com 4 a 6 horas do parto. Já as mães de cesárea deverão permanecer na cama de 8 a 12 horas após o parto, ou conforme orientação médica. Em seguida, é estimulada a andar, para contribuir na recuperação e evitar o acúmulo de gases.

A puérpera que recebeu anestesia poderá se alimentar depois de 4 horas ou conforme indicação médica.

Os cuidados com os pontos são muito importantes: nas cesarianas, deve-se lavar a incisão cirúrgica com água limpa e sabão e secar bem o local, enquanto que nos casos de parto normal em que foram necessárias suturas, orienta-se sempre manter o local higienizado, ou seja, sempre que ir ao banheiro, independente de urinar ou evacuar, deve-se lavar o local com água limpa e sabão e secar bem, afim de evitar infecções.

Ao amamentar o bebê, manter as mamas limpas, sem uso de cremes ou óleos, e utilizar sutiã apropriado para sustentação.

Pode acontecer o aumento na temperatura por volta do 3º dia, devido à descida do leite.

Se as mamas apresentarem dores, endurecimento ou mostrarem-se avermelhadas, deve-se procurar avaliação e orientação médica. Não orientamos fazer o esvaziamento das mamas no chuveiro com água morna.

A dor abdominal do tipo cólica é comum no puerpério durante as mamadas, e de maior intensidade durante a primeira semana, devido às contrações e involução uterina causadas pela liberação de ocitocina, que é um hormônio liberado durante as mamadas do bebê.

Podem haver alterações emocionais devido à nova função e papel de ser mamãe, com marcantes mudanças de humor, choro, irritabilidade, ocorrendo em 50% das puérperas e nas duas primeiras semanas do puerpério.

É comum o retardo na primeira evacuação devido às condições do parto, principalmente pela anestesia.

Algumas mamães podem ter retenção urinária (dificuldade de eliminar a urina), secundária à anestesia ou à sondagem vesical de demora (sonda para urinar).

Geralmente, a alta hospitalar ocorre após 48 horas, tanto para parto normal quanto cesariana, de acordo com a avaliação médica.

A atividade sexual é recomendada após 40 dias depois do parto, respeitando o conforto e desejo da puérpera.

A consulta ginecológica deverá ser agendada após 1 semana de pós-parto, retornando após 30 a 40 dias do parto, a fim de reforçar as orientações sobre amamentação e também sobre métodos contraceptivos.

Relacionados
Relacionados